segunda-feira, julho 26, 2010

Eu sei...

Voltei ao que fui em tempos de glória
Para renascer da sombra na poderosa esperança
Sacrifício impiedoso que não mereces, mas que te acorda das cinzas e te faz reviver.
Sentes a perda, sentes a raiva, sentes o medo...
E eu sinto que sou tudo isso, sem saber
Guardo a incerteza, pedindo que acredites em mim
Porque não sei, mas quero que saibas que sei
Tu sempre soubeste que eu sei
Não te vou desiludir
Porque sem saber, sei
Sei que preciso de ti...

5 comentários:

Sammael disse...

e quando se precisa dessa maneira nada mais há a dizer!


-__-

Cisne branco disse...

Isso foi uma declaração de amor???? ;) LOL Nice....:D

Corina de Oliveira disse...

O meu reino da noite gostaria de te oferecer um selinho para o teu blog fantástico! :)

Podes copiar o selo e ver as regras AQUI.

Beijinhos e tudo de bom *

Jasmim disse...

Escrita frenética; leitura sôfrega. Caí aqui por mero acaso, do bufar de fustração, do revirar dos olhos ao interesse passaram parcos segundos.

Um prazer ler essas linhas.

RavenDark disse...

oi,eu sou a criadora do blog A escuridão dos nossos sonhos.Quer fazer parceiria ?
visite:http://escuridaodossonhos.blogspot.com